Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Anticorpos e seu funcionamento no processo de imunização

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 04 maio 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Anticorpos e seu funcionamento no processo de imunização

Os anticorpos são proteínas responsáveis por proteger as células humanas de entrarem em contato com antígenos indesejados. 

Uma vez expostos aos vírus, bactérias ou à vacinação anteriormente, nosso sistema imunológico cria anticorpos e podemos ficar protegidos por anos, e, até mesmo, pela vida toda. 

Os anticorpos atuam impedindo a entrada de vírus e bactérias no organismo e evitando que a pessoa fique doente ou tenha sintomas graves da doença.

O que são anticorpos?

Anticorpos são proteínas em formato de “Y” que são produzidas pelo sistema imunológico e muitos deles estão associados com a proteção contra os chamados antígenos, que podem ser vírus, bactérias, fungos e parasitas.  

A estrutura de um anticorpo é formada por duas cadeias leves (L) idênticas e duas cadeias pesadas (H) idênticas, que são mantidas juntas por ligações dissulfeto para adquirirem uma forma de Y flexível. Cada cadeia é composta por uma região variável (V) e uma região constante (C). 

Qual a função do anticorpo?

O sistema imunológico é responsável por nos proteger de invasores indesejados. Para eliminar essas substâncias, são utilizados alguns mecanismos, como a produção de anticorpos e de células.

Os anticorpos funcionam como barreira protetora e uma de suas funções é neutralizar antígenos semelhantes aos que inicialmente levaram ao desenvolvimento de uma memória imunológica.

Os anticorpos não são produzidos apenas após uma infecção por um agente selvagem, mas também após a vacinação.

Os anticorpos podem permanecer em circulação por muitos meses ou anos, desencadeando imunidade que pode ser de duração mais ou menos longa duração contra aquele antígeno específico. Dependendo do caso, pode ou não haver necessidade de reforços de uma vacina.

O que são isotipos?

Os anticorpos podem pertencer a diferentes isotipos de imunoglobulinas, que são classes com diferentes funções.  

As imunoglobulinas possuem regiões variáveis (V) que estão localizadas próximo à ponta do anticorpo e sua função é diferenciar cada molécula, permitindo que vise um antígeno em específico. Já as regiões constantes (C), ocorrem em algumas variantes e definem a classe do anticorpo. Esses anticorpos de diferentes isotipos ativam mecanismos distintos para responder à invasão de um antígeno. 

Quais os isotipos de imunoglobulinas e suas funções?

São cinco isotipos de imunoglobulinas diferentes e cada um possui funções específicas no sistema imunológico.

h4>IgG

A Imunoglobulina G (IgG) é a imunoglobulina mais comum, representando cerca de 75% dos anticorpos presentes no organismo humano. Anticorpos da classe IgG são produzidos numa fase mais tardia da infecção.

Ela atua no controle de infecções causadas por vírus, bactérias e fungos, utilizando-se de vários mecanismos, como aglutinação, ativação das vias clássicas do sistema complemento e neutralização de toxinas. 

IgM

A Imunoglobulina M (IgM) é a maior imunoglobulina e a primeira a aparecer na resposta imunológica após exposição a um antígeno. Esses anticorpos são produzidos na fase aguda das infecções. 

IgD

A Imunoglobulina D (IgD) é responsável por cerca de 1% das proteínas presentes nas membranas plasmáticas, estruturas que delimitam a célula.

A função da IgD é sinalizar as células B para serem ativadas para que elas possam participar da defesa do organismo.

IgE

A Imunoglobulina E (IgE) é a imunoglobulina menos abundante do corpo humano. Sua função é conferir proteção a parasitas e algumas bactérias. Esse anticorpo também atua na hipersensibilidade do tipo I, que se manifesta em doenças alérgicas, como asma, sinusite, rinite, urticária crônica, dermatite e reações anafiláticas a medicamentos.  

IgA

A Imunoglobulina A (IgA) é a imunoglobulina que desempenha um importante papel imunológico nas mucosas. Ela constitui até 15% do total de imunoglobulinas no corpo humano.

A IgA está presente nas secreções mucosas, como lágrimas, saliva, suor, trato gastrointestinal, próstata e epitélio respiratório, fornecendo proteção contra os antígenos presentes nessas regiões. 

O que são os antígenos?

O antígeno é qualquer substância ou material estranho que possa estimular a produção de anticorpos no organismo e que seja reconhecido especificamente por estes. Eles atuam de modo que os linfócitos (glóbulos brancos) sejam ativados e se inicie a produção de anticorpos no corpo humano.

Os antígenos podem ser componentes da estrutura de vírus, bactérias, fungos e protozoários. Podem também ser proteínas produzidas por esses microrganismos.

Como os anticorpos são produzidos?

Os anticorpos podem ser produzidos naturalmente pelo sistema imunológico após o contato com o antígeno através de uma infecção ativa ou através da vacinação. 

Esses anticorpos agem como forma de defesa no corpo, reconhecendo e combatendo entradas de vírus e bactérias nas células humanas. Então, se você tiver sido exposto ao antígeno anteriormente, o corpo criará uma memória imunológica e atuará para destruir o invasor rapidamente, sem que adoeça.

Como os anticorpos atuam no nosso organismo?

Os anticorpos são responsáveis por reconhecer o antígeno invasor e combater a entrada deles nas células humanas. Os anticorpos criam uma memória imunológica capaz de destruir o vírus ou a bactéria rapidamente caso adentrem no organismo. Isso evita doenças e complicações que podem ser causadas por elas. 

Uma vez que fomos expostos a esses antígenos, podemos ficar protegidos por muitos anos. 

Como os anticorpos agem contra o coronavírus?

Estima-se que cerca de 90% das pessoas que contraíram o vírus desenvolveram anticorpos contra o Coronavírus, porém algumas pessoas não apresentam esses anticorpos no sangue.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até o momento, não é possível explicar a eficácia da imunidade fornecida pelos anticorpos na hora de combater o SARS-CoV-2, após a infecção ativa. 

A vacina CoronaVac, que está sendo distribuída no país, também é leva ao desenvolvimento de anticorpos contra a COVID-19.

No momento, a melhor forma de garantir imunidade à infecção é através da vacinação. 

Qual a relação dos anticorpos com as vacinas?

Quando uma pessoa é vacinada contra uma doença, o risco de infecção também é reduzido, dificultando a transmissão do vírus para outras pessoas. Quanto mais pessoas são vacinadas em uma comunidade, menores são as chances desses indivíduos contraírem doenças infecciosas e potencialmente perigosas.

As vacinas têm um papel crucial na hora de induzir resposta imune e criar anticorpos de combate às doenças infecciosas de forma ativa.

A vacinação durante a pandemia é extremamente necessária para evitar o ressurgimento de enfermidades que já foram erradicadas no país. 

Quais são os testes de anticorpos e para o que eles servem?

Os testes investigam a presença de anticorpos no organismo após infecção ativa ou após a vacinação. Eles servem para quantificar os níveis de anticorpos e para saber se você está protegido ou não contra a infecção.  

É importante dizer que a vacina COVID já está disponível e os testes podem ser utilizados para medir anticorpos após a imunização. 

Para muitas infecções ainda não está claro qual nível e qual anticorpo se associa a proteção contra uma nova infecção. Este é o caso da COVID-19. 

Fontes

Wikipedia. Isotype (immunology). Disponível em: https://en.wikipedia.org/wiki/Isotype_(immunology)

Brittanica. Antibody. Disponível em: https://www.britannica.com/science/antibody

Comentários