Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Cuidados na gravidez: o que a gestante deve ou não fazer durante a gestação

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 05 jul 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Cuidados na gravidez: o que a gestante deve ou não fazer durante a gestação

Saber sobre os cuidados na gravidez é importante para garantir uma gestação saudável tanto para a mãe quanto para o bebê. Os exames de acompanhamento obstétrico, incluindo as triagens genéticas, permitem a detecção precoce de problemas de saúde na gestante e no bebe, sendo possível tratá-los ou minimizar riscos e complicações.

O que evitar nos 3 primeiros meses de gravidez?

No primeiro trimestre da gravidez, recomenda-se seguir passos simples que fazem toda a diferença, como:

  • Não se automedicar. Pergunte ao seu médico antes de interromper ou iniciar qualquer medicamento, uma vez que determinados medicamentos não são seguros durante a gestação;
  • Não consumir bebidas alcoólicas ou cigarro;
  • Evitar o consumo de comidas cruas, tais como peixes e carnes;
  • Evitar exercícios físicos intensos e sem recomendação prévia do médico;
  • Reduzir o consumo de chás e produtos que contenham cafeína.

Quais são os principais cuidados durante a gestação?

Os principais cuidados durante a gestação são:

Pré-natal

O pré-natal é o primeiro passo a ser seguido após a descoberta da gestação.

Esse acompanhamento ajuda a reduzir os riscos durante a gravidez e aumenta a chance de um parto saudável e seguro. Consultas pré-natais regulares podem ajudar seu médico a monitorar sua gravidez, tratar doenças prévias ou intercorrências, prescrever as medidas preventivas, como vacinação e vitaminas, além de programar o parto com tranquilidade.

A gestação é um momento em que muitas mudanças físicas e emocionais ocorrem e cada pessoa lida com isso de maneira diferente. No pré-natal, o médico pode fornecer suporte durante o processo de adaptação e curso da gravidez.

A periodicidade das consultas pré-natais dependerão das condições médicas de cada gestante.

Quando a gestação é planejada, o ideal é que as consultas se iniciem antes da gravidez ocorrer, a fim de identificar e tratar condições prévias e preparar o organismo da mulher para uma gestação tranquila.

Realizar os exames essenciais

Durante a consulta o médico analisará a história clínica, antecedentes familiares, pessoais, ginecológicos e obstétricos. Além disso, o exame físico permite inspecionar de forma geral a saúde da mãe e do bebê. Os exames complementares, de sangue e imagem, permitem identificar doenças e intercorrências, como anemia, por exemplo. Os exames também avaliam a saúde do bebê, seu desenvolvimento e podem inclusive identificar precocemente fatores de risco e malformações que podem ser tratados durante a gestação. A avaliação genética é uma ferramenta importante para diagnóstico e, se necessário, preparação da família para receber crianças com necessidades especiais. 

Manter uma alimentação saudável

Manter uma dieta equilibrada e variada é importante para a saúde da mãe e do feto. Alimentar-se com todos os nutrientes necessários fortalece a saúde da gestante, contribui para o desenvolvimento saudável do bebê e ajuda a manter o peso adequado para ambos.

Opte por alimentos ricos em: ácido fólico, vitamina B6, cálcio, ferro, zinco, iodo e fibras.

É importante dizer que cada gestante tem necessidades nutricionais únicas, por isso, não deixe de consultar um nutricionista de confiança para saber qual é a alimentação mais adequada para você.

Eliminar uso de nicotina e alcoólicos

A nicotina é muito prejudicial durante a gestação, pois compromete o crescimento intrauterino e aumenta o risco de aborto espontâneo.

Durante a gravidez não é recomendado consumir bebidas alcoólicas. É importante reforçar que não existe quantidade segura de álcool para o bebe.

A síndrome alcoólica fetal é grave e pode causar malformações no bebê, distúrbios neurológicos, como hiperatividade e dificuldade de aprendizado, problemas nos rins e coração, além de problemas no crescimento que não podem ser revertidos após o nascimento. 

Fazer atividades físicas

Durante a gravidez recomenda-se realizar atividades físicas de baixa complexidade e impacto, seguindo sempre o conselho do médico responsável por acompanhar a gestação.

Atividades moderadas, como caminhada, pilates, alongamento e hidroginástica podem ser grandes aliadas na hora de reduzir riscos de doenças, controlar o peso e aumentar o bem-estar da gestante.

Descansar

É comum que as gestantes se sintam mais cansadas que o normal durante esse período, portanto é importante descansar o suficiente para manter a saúde e a disposição em dia. Recomenda-se que a gestante durma bem, em torno de 10 horas por noite.

Não fazer automedicação

A automedicação é arriscada para todas as pessoas e não deve ser feita, principalmente durante a gravidez. Alguns remédios podem ser muito prejudiciais para o bebê e causar malformações e, até mesmo, abortos espontâneos.  

Atenção aos corrimentos vaginais

Corrimentos vaginais podem ocorrer por diversos motivos e, durante a gestação, não é diferente. Caso a gestante esteja com corrimento, ela deve ficar atenta às alterações de cor e odor e notificar o médico para diagnosticar a causa.

O que grávida não pode comer?

Durante a gestação é indicado evitar: 

  • Carne, frango ou peixe crus;
  • Ovos crus;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Queijos não-pasteurizados;
  • Sucos não-pasteurizados;
  • Frutos do mar;
  • Cafeína;
  • Açúcar em excesso.

Quais exames fazer durante a gravidez?

A solicitação de exames varia de gestante para gestante, levando-se em conta fatores individuais de riscos e predisposição.

No primeiro trimestre, citamos abaixo alguns exames que podem ser solicitados:

  • Tipagem sanguínea e fator Rh;
  • Teste de Coombs indireto nas pacientes Rh negativo;
  • Hemograma;
  • Urina tipo I;
  • Urocultura e antibiograma;
  • Glicemia de jejum;
  • TSH (tireóide)
  • Exame parasitológico de fezes;
  • Citologia cérvico-vaginal (Papanicolaou);
  • Pesquisa de sífilis (VDRL);
  • Sorologia ELISA anti-HIV;
  • Sorologia ELISA para hepatite B (HBsAg);
  • Sorologia ELISA para hepatite C (HCV);
  • Painel biomolecular de identificação de doenças sexualmente transmissíveis (IST);
  • Sorologia para toxoplasmose (IgG e IgM);
  • Sorologia para rubéola (IgG e IgM);
  • Sorologia para citomegalovírus (IgG e IgM)
  • Pesquisa de Chlamydia trachomatis;
  • Painel diagnóstico da doença hipertensiva específica da gestação (DHeG);
  • Sódio;
  • Potássio;
  • Uréia;
  • Creatinina;
  • TGO;
  • TGP.
  • Sexagem fetal

No segundo trimestre:

  • Ultrassom morfológico;
  • Urina e urocultura;
  • Hemograma;
  • Glicose;
  • VDRL;
  • Sorologia para toxoplasmose (IgG e IgM);
  • Sorologia para rubéola (IgG e IgM);
  • Sorologia para citomegalovirus (IgG e IgM)
  • TSH
  • Fibronectina fetal.
  • Curva Glicêmica (avaliação de diabetes gestacional).
  • NIPT

Já no terceiro trimestre, são indicados os seguintes exames:

  • Hepatite B e HBSAG;
  • Hepatite C;
  • Pesquisa de sífilis (VDRL);
  • Sorologia ELISA anti-HIV;
  • Cultura vaginal e retal;
  • Análises de coagulação;
  • Cardiotocografia (CTG).

Outros exames podem ser solicitados de acordo com a necessidade de cada paciente.

Sinais de alerta na gravidez: de olho na saúde

Alguns sinais podem indicar que a gravidez está passando por alguns problemas. Por isso, fique atenta se os seguintes sintomas estão acontecendo e procure o seu médico de confiança. 

  • Sangramento vaginal, principalmente quando é volumoso e persistente, há presença de coágulos, é acompanhado de dor pélvica, acompanhado de contrações uterinas moderadas a intensas.  
  • Dor abdominal persistente, especialmente associada a vômitos, febre, dor na hora de urinar, sangramento vaginal ou diarreia. 
  • Náuseas e vômitos, principalmente quando associados a febre, diarreia e cólicas intensas. 
  • Contrações uterinas antes da hora: dolorosas, frequentes ou seguidas de sangramento vaginal leve. 
  • Corrimento vaginal frequente, acompanhado de odor forte, febre, coceira vaginal intensa, queimação na vagina ou dor pélvica. 
  • Dor para urinar: dificuldade para segurar a urina, dor, ardência, sangue na urina e vontade de urinar mesmo que a bexiga esteja vazia. 
  • Inchaço assimétrico nas pernas: principalmente se estiver acompanhado de vermelhidão local, dor e aumento da temperatura da perna acometida.
  • Redução dos movimentos do bebê especialmente quando a frequência muda de forma repentina.
  • Febre, com temperaturas acima de 37,5ºC por mais de 24 horas.

Vacinas durante a gestação

As vacinas na gravidez são essenciais para conferir proteção de mãe para filho. As vacinas indicadas para gestante são:

Quais vacinas grávidas não podem tomar?

Existem algumas vacinas, que por serem constituídas de organismos vivos atenuados, devem ser evitadas durante a gestação. Antes de se vacinar, converse com seu médico.

vacinas contraindicadas para gestantes: 

  • Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola);
  • HPV;
  • Varicela (catapora);
  • Dengue.

 Grávidas podem tomar a vacina contra o COVID-19?

Sim, gestantes e puérperas podem tomar a vacina da COVID-19. Converse com seu médico para a indicação da marca e tipo que melhor se aplica ao seu caso.

Fontes

Vacinas. Cuidados na gravidez: 15 coisas que a gestante precisa saber. Disponível em: https://vacinas.com.br/blog/cuidados-na-gravidez/

MD Saúde. 10 SINAIS DE PROBLEMAS NA GRAVIDEZ. Disponível em: https://www.mdsaude.com/gravidez/sinais-de-problemas-na-gravidez/CordVida. Estou grávida, e agora? Conheça os primeiros cuidados. Disponível em: https://www.cordvida.com.br/blog/estou-gravida-e-agora-conheca-os-primeiros-cuidados/

Vacinas relacionadas

		    
		    
	  	

Comentários