Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Doenças que foram erradicadas e controladas com a vacinação

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 15 jun 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Doenças que foram erradicadas e controladas com a vacinação

doenças erradicadas, eliminadas e controladas graças à vacinação.

Atualmente existem vacinas responsáveis por prevenir mais de vinte doenças potencialmente perigosas, muitas destas que já foram eliminadas e controladas.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), as vacinas são capazes de evitar pelo menos 4 mortes por minuto ao redor do mundo, sendo essenciais para a saúde pública.

O que é a erradicação de uma doença? 

A erradicação significa que a doença não existe mais, como é o caso da varíola, única doença que já foi completamente erradicada.

É importante dizer que nem todas as doenças podem ser erradicadas com a vacinação, como é o caso da febre amarela, uma vez que é possível vacinar todos os seres humanos, mas é impossível vacinar todos os macacos (considerados os principais reservatórios da febre amarela). 

É considerada eliminada uma doença que não possui casos, mas que pode ser reintroduzida na sociedade em algum momento.

Já as doenças controladas são as que possuem um número muito baixo de casos, mas do mesmo modo é necessário atenção, sendo essencial que todos mantenham o calendário vacinal atualizado.

Doença erradicada com a vacinação no Brasil: Varíola

A varíola foi considerada erradicada no dia 8 de maio de 1980 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O efeito dessa doença no Brasil e no mundo foi devastador, fazendo mais de 300 milhões de vítimas no período de 80 anos em que esteve ativa.

Graças a aderência da vacinação em todo o mundo, foi possível erradicar a doença.

Doenças eliminadas

As doenças eliminadas são aquelas que podem voltar a circular caso a cobertura vacinal do país caia. Veja: 

Poliomielite: O poliovírus 2 e 3 foram eliminados e estão erradicados na maioria dos países ocidentais, porém ainda não em todo o mundo. 

Sarampo: O sarampo havia sido eliminado, porém após duas décadas fora de circulação endêmica no país, em 2019 foi reintroduzido devido a falta de vacinação da população.

Reforçamos a extrema necessidade de todos se vacinarem contra as doenças, para que casos de reintrodução de infecções na sociedade não aconteçam e desencadeiem surtos

Doenças controladas

A difteria e a rubéola são doenças que já chegaram a não terem nenhum caso notificado no Brasil graças à vacinação, mas atualmente, junto com o tétano, são consideradas doenças controladas, ou seja, com um baixo número de casos. 

Difteria: É uma infecção grave que acomete o nariz e a garganta. A presença de membranas no trato respiratório que se destacam pode levar a insuficiência respiratória aguda e morte. A toxina produzida pela bactéria causadora da difteria pode também agir a distância, levando a quadros de miocardite (inflamação do músculo do coração) e neurite (inflamação de nervos).

Tétano: Infecção grave causada por bactéria que causa espasmos musculares dolorosos. É comum acontecerem fraturas devido a essas contrações musculares. Mesmo com todo o acesso a cuidados hospitalares, 50% das pessoas com tétano evoluem para a morte em nossos dias.

Rubéola: Infecção viral contagiosa, caracterizada por erupção vermelha na pele. Seu maior risco é quando acomete uma gestante suscetível, podendo infectar o feto e causar a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC). Na SRC, o bebê pode nascer com malformação cardíaca, surdez, cegueira devido a catarata congênita e apresentar atraso do desenvolvimento neuropsicomotor.

Doenças evitáveis com a vacinação

Nos dias de hoje, há 19 tipos diferentes de vacinas disponíveis, que conferem proteção contra mais de 20 doenças. As doenças evitáveis pela vacinação são:

  • Tuberculose;
  • Difteria;
  • Tétano;
  • Coqueluche;
  • Poliomielite;
  • Influenza (Gripe);
  • Hepatite A;
  • Hepatite B;
  • Sarampo;
  • Caxumba;
  • Rubéola;
  • Varicela;
  • Infecções por Haemophilus influenzae tipo b (Hib);
  • Doença Pneumocócica;
  • Meningite causada pelos sorogrupos A, B, C, W e Y;
  • Febre amarela;
  • Rotavírus;
  • Infecções e cânceres causados pelo papilomavírus humano (HPV).

Importância da cobertura vacinal e de se manter a vacinação em dia

O Brasil é o país considerado como uma referência mundial em vacinação e o Sistema Único de Saúde (SUS) é responsável por garantir a vacinação gratuita para a população com as vacinas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mesmo assim, muitas pessoas deixam de se vacinar, o que é um grande erro, uma vez que a vacinação é a melhor forma de prevenir doenças potencialmente perigosas que podem levar a óbito e a sequelas graves.

Vale lembrar que quando você se vacina, você está protegendo a si mesmo, a sua família e toda a população ao seu redor.

Manter o calendário vacinal atualizado é de extrema importância em todas as fases da vida, desde o nascimento até a terceira idade.

Fontes

Ministério da Saúde – Viva mais SUS. VERDADE SOBRE AS VACINAS. Disponível em: https://portalarquivos.saude.gov.br/campanhas/vivamaissus/vacinacaoinfantil_interna.html

BBC. As doenças infecciosas derrotadas graças às vacinas. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/geral-55354546

Vacinas relacionadas

		    
		    
		    
		    
	  	

Comentários