Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Entenda a importância da amamentação e tire suas dúvidas em relação às vacinas

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 04 maio 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Entenda a importância da amamentação e tire suas dúvidas em relação às vacinas

A importância da amamentação está associada a vários aspectos médicos, uma vez que é possível desenvolver inúmeros benefícios para a saúde da mãe e do bebê.

A infância é o período em que o bebê está suscetível a diversas infecções, isso porque seu sistema imunológico ainda está em formação. O aleitamento materno e as vacinas têm grande importância no auxílio do desenvolvimento de proteção para as crianças.

Além disso, a amamentação é uma maneira de estreitar os laços de afeto entre mãe e filho, além de conferir proteção, nutrição e contribuir para a redução da morbimortalidade infantil.

Qual a importância do aleitamento materno?

A amamentação é importante para a nutrição do bebê. É também o primeiro contato dele com anticorpos de mucosa, células e outros componentes do colostro e do leite materno conferidos pela mãe e responsáveis por estimular o desenvolvimento da imunidade e evitar doenças infecciosas durante essa faixa etária. Além disso, o aleitamento materno é responsável por criar vínculos profundos entre mãe e filho. 

A composição do leite materno pode variar de acordo com diversos fatores, dependendo da individualidade genética, nutrição materna e o período de lactação. 

Além disso, enquanto não é possível aplicar as vacinas para crianças, a mãe é capaz de conferir proteção para o bebê contra doenças infecciosas através da amamentação.

Benefícios para a mãe

O aleitamento materno também possui grandes benefícios para as mães, veja:

Previne o câncer de mama: Estima-se que o risco de contrair o câncer diminua 4,3% a cada 12 meses de amamentação. Essa estimativa varia de acordo com outros fatores, como idade, etnia, paridade e presença ou não de menopausa.

Evita nova gestação: Durante os primeiros seis meses, a amamentação atua como método anticoncepcional se a mãe estiver amamentando de forma exclusiva e predominante e ainda não tenha menstruado. 

Vínculo afetivo entre mãe e filho: O contato da mãe com o filho traz benefícios psicológicos tanto para a mãe quanto para o bebê, uma vez que passam tempos juntos e são capazes de proporcionar afeto, segurança e proteção um ao outro.

Algumas doenças que o aleitamento materno pode ajudar a reduzir são: câncer de ovário, câncer de útero; hipercolesterolemia, hipertensão e doença coronariana; obesidade; doença metabólica; osteoporose e fratura de quadril; artrite reumatóide; depressão pós-parto; e diminuição do risco de recaída de esclerose múltipla pós-parto.

Benefícios para o bebê

Para o bebê, os benefícios da amamentação são:

  • Evitar mortes infantis;
  • Evitar episódios de diarreia;
  • Evitar infecções respiratórias;
  • Diminuir o risco de alergias;
  • Diminuir o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes;
  • Reduzir a chance de obesidade;
  • Melhor nutrição;
  • Efeito positivo na inteligência;
  • Melhor desenvolvimento na cavidade bucal.

Por quanto tempo as mães devem amamentar o bebê?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) juntamente com o Ministério da Saúde, recomenda a amamentação por dois anos ou mais, e exclusiva nos primeiros seis meses de vida. Os órgãos de saúde explicam que não é necessário introduzir os demais alimentos antes dos seis meses de idade, podendo até gerar complicações na saúde do bebê.

Durante o segundo ano de vida, o leite materno é responsável por fornecer uma grande parte dos nutrientes. Estima-se que dois copos (500 mL) de leite materno, nessa faixa etária, forneçam 95% das necessidades de vitamina C, 45% das de vitamina A, 38% das de proteína e 31% do total de energia.

Quais são os cuidados necessários na fase de amamentação?

Para evitar problemas para a mãe e para o bebê durante o aleitamento materno, a Organização Mundial da Saúde (OMS) indica quatro pontos de atenção ao amamentar.

Para o posicionamento adequado do bebê, atente-se às seguintes instruções:

  • Rosto do bebê de frente para a mama, com nariz na altura do mamilo;
  • Corpo do bebê próximo ao da mãe;
  • Bebê com cabeça e tronco alinhados (pescoço não torcido);
  • Bebê bem apoiado.

Para que o bebê consiga se alimentar de forma adequada, é necessário seguir os seguintes passos:

  • Mais aréola visível acima da boca do bebê;
  • Boca bem aberta;
  • Lábio inferior virado para fora;
  • Queixo tocando a mama.

A mãe deve se atentar às seguintes condições que podem indicar técnica inadequada de amamentação:

  • Bochechas do bebê encovadas a cada sucção;
  • Ruídos da língua;
  • Mama aparentando estar esticada ou deformada durante a amamentação;
  • Mamilos com estrias vermelhas ou áreas esbranquiçadas ou achatadas quando o bebê solta a mama;
  • Dor durante a amamentação.

Quais vacinas que as mães que estão amamentando não podem tomar?

As únicas vacinas que a mãe que amamenta não pode tomar enquanto a criança tiver menos de 6 meses são a vacina febre amarela e a vacina dengue.

Estou amamentando: posso tomar a vacina da COVID-19?

A administração da vacina para SARS-CoV-2 durante a amamentação ainda é assunto pouco conhecido. Por causa disso, a mulher que amamenta deve se aconselhar com o seu médico e com o pediatra do seu filho. 

Ainda não se sabe ao certo se a vacina COVID-19 é capaz de conferir proteção através do leite materno para a criança.

Além disso, de acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde, gestantes infectadas pela COVID-19 podem amamentar normalmente o bebê. 

Até o momento, ainda não há registros de transmissão do Coronavírus via leite materno. Para que não haja riscos de transmissão, recomenda-se a boa higiene antes e depois do contato com o bebê, além do uso de máscaras.

Dúvidas sobre amamentação e vacinas

A vacina e a amamentação são duas estratégias de proteção muito eficazes e seguras, ambas são de extrema importância para a saúde do seu bebê. 

Lactante pode tomar vacina da gripe?

Sim. A vacina da gripe inclusive faz parte das vacinas recomendadas para gestantes e lactantes e deve ser tomada todos os anos. 

A vacina “passa” para o bebê pela amamentação?

Através da amamentação acontece a transferência de imunoglobulinas antimicrobianas que protegem de forma passiva a criança enquanto seu sistema imunológico está em desenvolvimento.

Estudos realizados pela Sociedade Brasileira de Pediatria mostram que a exposição precoce ao antígeno através do leite materno contribui para o desenvolvimento do sistema imunológico da criança.

Estou amamentando, posso tomar a vacina contra sarampo?

Sim. A vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e varicela (catapora) são contraindicadas durante a gestação, pois não são inativadas. Porém, após o parto e durante a amamentação, estão liberadas.

Quais vacinas o bebê deve tomar?

As vacinas para o bebê, até os seis meses de vida, incluem:

  • BCG;
  • Hepatite B infantil;
  • Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa);
  • Haemophilus influenzae b;
  • Poliomielite (vírus inativados);
  • Rotavírus;
  • Pneumocócicas conjugadas;
  • Meningocócicas conjugadas ACWY/C;
  • Meningocócica B;
  • Influenza (gripe).

Posso tomar a vacina da febre amarela durante a fase de amamentação?

Não. A vacina febre amarela é contraindicada para gestantes e lactantes que estejam amamentando crianças com menos de seis meses de vida. 

Fontes

Ministério da Saúde. SAÚDE DA CRIANÇA: Aleitamento Materno e Alimentação Complementar. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_aleitamento_materno_cab23.pdf

Vacinas relacionadas

Comentários