Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Entenda como lidar com o medo de vacina em crianças e adultos

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 20 abr 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Entenda como lidar com o medo de vacina em crianças e adultos

O medo de vacina pode fazer parte da vida das crianças, adolescentes e, até mesmo, adultos, gerando desconforto e ansiedade na hora de se proteger contra doenças potencialmente perigosas. 

Para que as crianças não se sintam inseguras na hora de se vacinar, os pais têm um grande papel na hora de encorajar seus filhos, uma vez que elas ainda não compreendem o papel importante que tem uma vacina na hora de prevenir doenças.

O medo de agulha não é exclusivo de crianças, mas várias pessoas mais velhas também têm essa insegurança e algumas dicas podem ajudar a diminuir esse sentimento.  

Por que algumas pessoas têm medo de vacinas?

Algumas pessoas enfrentam grandes dificuldades na hora de tomar vacinas, e esse medo pode estar atrelado a inúmeras causas, como fake news, desinformação e possíveis traumas na infância.  

De acordo com o Ministério da Saúde, algumas dessas fake news são:

  • As vacinas têm vários efeitos colaterais prejudiciais e em longo prazo que ainda são desconhecidos. A vacinação pode ser até fatal.

Isso é MITO. As vacinas passam por várias fases de testes que provam sua segurança e eficácia. Normalmente os eventos adversos são leves e temporários. Os casos graves são raríssimos e acometem apenas uma parcela bem pequena dos pacientes imunizados.

  • As doenças evitáveis por vacinas estão quase erradicadas em meu país, por isso não há razão para me vacinar.

MITO. Mesmo que as doenças estejam erradicadas no seu país no momento, não significa que você deve deixar de se proteger. Os agentes infecciosos continuam circulando e, não se vacinando, você ficará suscetível a essas doenças.  

  • Vacinas causam autismo.

MITO. Os imunizantes são muito seguros e é comprovado cientificamente que não há evidência de uma ligação entre as vacinas e o autismo.

  • É melhor ser imunizado por meio da doença do que por meio de vacinas.

Isso é MITO. As vacinas têm como objetivo induzir a proteção e produção de anticorpos para o sistema imunológico semelhante àquela produzida pela infecção natural, mas não causam a doença em si. 

É importante que todos saibam e se informem da importância da vacinação, uma vez que é a forma mais simples, segura e eficaz de proteger toda uma comunidade de doenças virais e bacterianas.  

Outro fator que pode desencadear o medo por vacinação são os possíveis traumas na infância. Os pais têm um enorme papel durante essa fase de vida, em tentar fazer com que os pequenos se tranquilizem com a vacinação. 

Crianças e bebês são considerados grupos de risco para doenças infecciosas, portanto o esquema vacinal recomendado pela Organização Mundial da Saúde é projetado para protegê-los desde pequenos. 

É normal ter medo de tomar vacina?

Sim. Muitas pessoas têm medo de tomar vacina, e isso não se limita apenas a uma idade específica. O que devemos fazer é nos conscientizar de que se proteger é necessário e que se vacinar valerá a pena não apenas para proteger você de doenças evitáveis, mas todas as pessoas que estão ao seu redor. 

Consequências do medo da vacinação

É por causa das vacinas que várias doenças foram eliminadas no Brasil e no mundo. Optar por não se imunizar pode trazer grandes e graves consequências para todos e causar impactos familiares e sociais. 

Hoje existem vacinas disponíveis para proteger contra pelo menos 20 doenças, como difteria, tétano, coqueluche, gripe e sarampo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o impacto da vacinação deve ser levado em consideração a todo o momento, uma vez que as vacinas são responsáveis por evitar entre 2 a 3 milhões de mortes por ano. 

Nos últimos tempos, foram relatados surtos de sarampo em vários estados do país. A doença já tinha sido eliminada há alguns anos no Brasil. O retorno dos casos de sarampo ocorreu porque muitas pessoas deixaram de se vacinar.

Muitos pais fazem parte do movimento anti-vacina, principalmente os que não viveram momentos de surtos dessas doenças e não compreendem o quanto a falta da vacina pode gerar de doenças e sequelas tanto para as crianças quanto para todos os familiares ao redor.

É importante ressaltar, que, ao se vacinar, você protege algumas pessoas, como aquelas gravemente doentes, que não conseguem responder ou não podem tomar certas vacinas. Portanto, elas dependem de nós para ajudar a reduzir a propagação da doença. 

A falta de vacinação pode ter grande impacto social e econômico, principalmente em casos de surtos e epidemias. Isso também pode causar grandes problemas no turismo, eventos internacionais e diminuição da renda local.  

Aicmofobia: o que é?

É muito comum que as pessoas sintam um certo medo de agulhas, uns até desenvolvem a fobia, chamada de aicmofobia. Isso ocorre principalmente em crianças, que relutam em tomar vacinas ou fazer exames, mas pode acometer pessoas de todas as idades.

Como saber se tenho aicmofobia?

Alguns sintomas podem indicar que você sofre de aicmofobia, como:

  • Sensação de desmaio ao ver ou pensar em agulhas;
  •  Arritmia cardíaca ou aumento na pressão arterial ao ver ou pensar em agulhas;
  •  Falta de ar, boca seca, tremores, náuseas ou, até mesmo, ataque de pânico ou ansiedade.

Para ajudar a solucionar seu medo, recomenda-se buscar profissionais especializados para te ajudar a entender as causas desses sintomas e qual o tratamento é mais adequado para ser seguido.  

Como lidar com criança com medo de vacina?

O medo das vacinas em crianças é muito comum e pode atrapalhar na hora da proteção. Os pais ou responsáveis podem influenciar esse medo nas crianças, mesmo que involuntariamente, demonstrando o próprio receio, por exemplo. Por isso, os pais devem dar o exemplo ao serem vacinados e coletarem exames de sangue, encorajando os pequenos a fazerem o mesmo. 

Dicas para vacinar crianças com medo de vacina

Algumas dicas para auxiliar na hora de vacinar bebês e crianças e driblar o medo deles são:

  • Não omita a verdade: Não diga ao seu filho que a vacina não irá doer, mas explique que a criança poderá sentir uma dor suportável e que será temporária.
  • Mostre tranquilidade: Seja o maior exemplo na hora da vacinação, explique às crianças que será rápido e tranquilo tomar a vacina. 
  • Controle a birra: Mesmo que seja difícil lidar com esse momento sem perder a paciência, mantenha-se firme e mostre que está lá por ele e que nada de mal vai acontecer. Acolha a criança com calma e não utilize tons de ameaça. 
  • Não sofra junto com seu filho – entenda que a vacina é a melhor opção: Não demonstre pena ou medo pela criança. Trabalhe para que o bebê ou a criança se sintam seguros ao seu lado e que, após tomar a vacina, estarão protegidos de doenças que podem ser mortais.

É possível superar o medo de vacina?

Sim. Seguindo algumas das dicas citadas, você poderá diminuir o sentimento de medo ao se imunizar. Se o seu caso de fobia for mais sério, procure pessoas especializadas no assunto para te ajudarem nesse processo e lembre que a vacina é o melhor remédio de combate às infecções.

Fontes

Clínica Croce. 9 dicas para driblar o medo de vacinas nas crianças. Disponível em: http://clinicacroce.com.br/blog/9-dicas-para-driblar-o-medo-de-vacinas-nas-criancas/

Ministério da Saúde. 10 mitos sobre vacinação. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/perguntas-e-respostas/53294-10-mitos-sobre-vacinacao

Comentários