Agende já suas vacinas
Vacinas
04 jun 2020 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Qual a diferença entre soro e vacina?

Tanto o soro quanto a vacina possuem o mesmo objetivo, a imunização. Porém, atuam de maneiras diferentes no corpo humano.

Muitas pessoas não sabem qual a diferença entre soro e vacina; no texto abaixo explicaremos as principais dúvidas sobre o tema. 

 

A vacina, o soro e os antibióticos: como diferenciar?

A vacina, o soro e os antibióticos atuam para combater patógenos que possam causar doenças infecciosas. Porém, mesmo tendo objetivos semelhantes, possuem diferenças.

Vacina

O objetivo da vacina é induzir uma proteção de longa duração, que leve à produção de anticorpos pelo organismo. É usada na prevenção de doenças com que possamos entrar em contato. Como são necessários pelo menos alguns dias para que o nosso sistema imunológico produza anticorpos e células de defesa, geralmente a vacina é indicada antes da pessoa entrar em contato com um microrganismo. É uma forma de imunização ativa.

Soro

Já o soro atua como imunização passiva, pois, o seu objetivo é fornecer anticorpos já prontos que possam impedir que um vírus, bactéria ou mesmo um veneno de serpente ou escorpião causem sintomas na pessoa que já entrou em contato com esses agentes.

Antibiótico

Antibióticos são medicamentos que atuam inibindo e controlando infecções bacterianas presentes no organismo.

Pessoas com escudos se protegendo de vírus

Por que o soro é uma forma de imunização passiva ao passo que a vacina é uma forma de imunização ativa?

A principal diferença entre esses dois tipos de imunização é que na imunização passiva são fornecidos anticorpos já prontos e na imunização ativa, são aplicados imunobiológicos que atuam estimulando o sistema imunológico a produzir anticorpos específicos para determinada doença

A imunização passiva (soro) oferece imunidade transitória contra um determinado antígeno, enquanto a imunização ativa (vacina) confere imunidade duradoura contra o antígeno. 

 

Soros e vacinas: como são produzidos?

A diferença entre soros e vacinas também está no processo de produção.

As vacinas são produzidas através de atenuação ou inativação de vírus e bactérias.

Já a produção de soro pode ser feita de diferentes maneiras também.

  1. No caso de soros de outros animais (chamados de soros heterólogos), cavalos são vacinados repetidas vezes ou expostos a toxinas de serpentes e outros animais peçonhentos. Quando atingem níveis de anticorpos elevados no sangue, é realizada coleta de sangue, separação do plasma e purificação do mesmo. São exemplos de soros heterólogos: soro antitetânico, soro anti-rábico, soro antiofídico.
  2. Podem ser também produzidos soros homólogos, ou imunoglobulinas humanas. Nesses casos, pessoas com altos níveis de anticorpos no sangue doam plasma, que será então testado, visando à produção de diferentes imunoglobulinas: imunoglobulina humana anti-tetânica, imunoglobulina humana anti-rábica, imunoglobulina humana anti-varicela zóster, imunoglobulina humana anti-hepatite B.

Por serem produzidas a partir de plasma humano, as imunoglobulinas humanas são mais seguras que os soros heterólogos. Assim, sempre que possível, deve-se dar preferência ao uso de imunoglobulinas humanas.

pessoa com escudo se defendendo dos vírus

Como atuam o soro e a vacina no corpo humano?

Tanto o soro quanto a vacina atuam na prevenção de doenças.

O soro já contém os anticorpos necessários para impedir que um microrganismo ou suas toxinas que estão presentes em nosso organismo causem a doença.

Já a vacina induz o sistema imune a produzir anticorpos e células de defesa para combater a doença.

Qual a diferença entre vacina antitetânica e soro antitetânico?

A vacina antitetânica (ou vacina tétano, como se diz atualmente), é utilizada na prevenção do tétano. Essa imunização é muito segura e é indicada a todas as pessoas. Mulheres grávidas devem estar com a vacina em dia para prevenir o tétano neonatal, que pode ocorrer logo após o nascimento do bebê (chamado também de mal dos sete dias). Aos 2 meses de idade, a criança começa a tomar vacinas que contêm o toxóide tetânico e que levarão à produção de anticorpos pela própria criança. Ao longo de toda a vida, serão necessários reforços da vacina para manter anticorpos circulantes em quantidade suficiente para neutralizar a toxina do tétano caso a pessoa tenha um ferimento e se contamine com o bacilo causador do tétano.

Veja o calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização e da SBIm

O soro antitetânico é usado para o tratamento de pacientes com tétano. Também é utilizado na prevenção do tétano em pacientes com ferimentos com alto risco de tétano que nunca foram vacinados, que possuem vacinação incerta ou com menos de três doses.

Pessoas imunodeprimidas devido a doenças ou uso de medicamentos imunossupressores podem também precisar de soro antitetânico quando tiverem um ferimento grave, pois nem sempre produziram anticorpos, apesar de vacinadas no passado.

 

Veja também: Pneumonia 

Veja onde se vacinar em Locais de Aplicação

 

Fontes:

Livro: Imunizações em Pediatria – Série Atualizações Pediátricas

https://blogdoenem.com.br/biologia-enem-vacina-soro/

https://brasilescola.uol.com.br/biologia/soro-vacina.htm

http://www.infobibos.com/Artigos/2008_2/SorosVacinas/Index.htm

https://consultaremedios.com.br/soro-antitetanico-instituto-butantan/bula

Vacinas por Perfil

Aqui você encontra todas as vacinas que você deve tomar de acordo com seu perfil e cuidados ao viajar.

MaisLidas