Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Quem amamenta pode tomar a vacina do COVID-19?

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 08 nov 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Quem amamenta pode tomar a vacina do COVID-19?

Com a vacinação, diversas dúvidas surgiram, como quem amamenta pode tomar a vacina do COVID-19?  

Para responder a esse questionamento, além de ser necessário entender a importância da amamentação e relação com vacinas, é importante seguir à risca as orientações dos órgãos de saúde.  

Durante a pandemia, muito foi questionado sobre as vacinas COVID-19 eficácia e diferença e quais os riscos e benefícios de serem aplicadas em grávidas e lactantes. Veja mais sobre as recomendações de cada uma delas:  

  • Pfizer BioNTech: Para lactantes, os estudos comprovam que a vacinação é recomendada e segura. A OMS não indica interromper a amamentação por conta da vacina.  
  • Oxford / AstraZeneca: Recomenda-se a vacinação em mulheres que estejam amamentando. A OMS não recomenda a interrupção da amamentação após a imunização.   
  • Sinovac- Coronavac: Trata-se de uma vacina inativada com um adjuvante que é comumente utilizado em diversas vacinas com um perfil de segurança bem documentado para grávidas e lactantes, ou seja, a gestante pode tomar vacina da COVID-19 sem riscos potenciais. Segundo a OMS, o uso da vacina Sinovac-CoronaVac é recomendado tanto em mulheres lactantes como em outros adultos, sem diferença de eficácia esperada.   
  • Janssen: Assim como a vacina Oxford / AstraZeneca, o imunizante pode ser administrado em uma mulher que esteja amamentando. A interrupção da amamentação não é recomendada. 

Os anticorpos passam para o bebê pelo leite materno? 

Um estudo publicado pela revista Nature explica que as vacinas não passam pelo leite materno, mas os anticorpos passam, sugerindo que bebês que são amamentados possam adquirir algum nível de proteção. 

Os cientistas examinaram as vacinas Pfizer – BioNTech e Moderna e não detectaram as vacinas no leite materno. O que eles descobriram são anticorpos, produzidos por mães em resposta a inoculações para o vírus SARS-CoV-2. 

Mesmo com alguns dados que sugerem que os bebês recebam um determinado grau de proteção, ainda são necessários outros estudos para entender se estes anticorpos são de fato funcionais. 

A fim de evitar diversas doenças na infância, como gripe ou resfriado em bebê, é recomendado que os pais sigam o calendário de vacinas do bebê mês a mês. 

Várias vacinas são essenciais durante essa fase de desenvolvimento do bebê. É nesse momento que o sistema imunológico está mais vulnerável por ainda estar em formação, o que torna as crianças mais suscetíveis ao desenvolvimento de doenças infecciosas. 

Quais reações a vacina de COVID-19 pode causar na lactante e no bebê?  

Até o momento, os estudos não mostram quaisquer riscos para as crianças, uma vez que as vacinas não passam para elas através do leite materno. Para lactantes, as reações adversas podem ser as mesmas das pessoas adultas de mesma idade. As principais reações de uma vacina são: dor no local da injeção, dor de cabeça, náusea, dores musculares, indisposição e sensação febril. 

Quando chegar a hora de imunizar seus filhos, as mamães não devem se preocupar com as reações de vacina em bebês, pois nem sempre acontecem e todas as vacinas passam por longas fases de testes para que sejam verdadeiramente eficazes e seguras. 

Grávidas têm restrições para se vacinarem contra COVID-19?  

A OMS recomenda a vacina para as mulheres grávidas quando os benefícios da vacinação para elas superam os riscos potenciais que devem ser mensurados de acordo com o contexto epidemiológico local e as limitações atuais dos dados de segurança em mulheres grávidas pelo médico responsável por cada gestação. A OMS não recomenda de maneira alguma adiar ou interromper a gravidez por causa da vacinação. Esta indicação vale para todas as vacinas COVID-19 que estão disponíveis no Brasil.  

Além da vacina da COVID-19, recomendam-se outros imunizantes na gestação: dTpa, influenza e hepatite B. 

Fontes

WHO. The Pfizer BioNTech (BNT162b2) COVID-19 vaccine: What you need to know. Disponível em: https://www.who.int/news-room/feature-stories/detail/who-can-take-the-pfizer-biontech-covid-19–vaccine?topicsurvey=v8kj13)&gclid=CjwKCAjwzOqKBhAWEiwArQGwaPUyBlIxq6U6lRrXtGssSMz1pWA6p7MVUuTWW5m4JBe81pZXV9PKjxoCESoQAvD_BwE 

WHO. The Janssen Ad26.COV2.S COVID-19 vaccine: What you need to know. Disponível em: https://www.who.int/news-room/feature-stories/detail/the-j-j-covid-19-vaccine-what-you-need-to-know 

WHO. The Oxford/AstraZeneca COVID-19 vaccine: what you need to know. Disponível em: https://www.who.int/news-room/feature-stories/detail/the-oxford-astrazeneca-covid-19-vaccine-what-you-need-to-know 

WHO. The Sinovac-CoronaVac COVID-19 vaccine: What you need to know. Disponível em: https://www.who.int/news-room/feature-stories/detail/the-sinovac-covid-19-vaccine-what-you-need-to-know 

Nature. COVID vaccines and breastfeeding: what the data say. Disponível em: https://www.nature.com/articles/d41586-021-01680-x 

Comentários