Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Rubéola: o que é, sintomas, tratamento e prevenção

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 16 fev 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Rubéola: o que é, sintomas, tratamento e prevenção

A rubéola é uma infecção causada por vírus que pode ser muito perigosa se adquirida na gestação e transmitida ao feto. A boa notícia é que pode ser prevenida por vacinação.

Entenda um pouco mais sobre a doença e a importância de se proteger.

O que é rubéola?

A rubéola em crianças e adultos é uma infecção viral altamente contagiosa, que tem como características principais os gânglios linfáticos do pescoço aumentados e erupções vermelhas na pele.

Causas

A doença é transmitida pelo vírus do gênero Rubivirus, da família Togaviridae.

Sintomas de rubéola

Os principais sintomas da rubéola incluem:

  • Febre baixa;
  • Linfadenopatia retroauricular, occipital e cervical;
  • Exantema máculo-papular. 

Os primeiros sinais costumam aparecer entre 14 e 21 dias após a infecção.

Transmissão da rubéola

A principal forma de transmissão da rubéola é de pessoa para pessoa, através de secreções nasofaríngeas expelidas ao tossir, respirar ou falar.

O período de transmissibilidade é de 5 a 7 dias antes e após o início do surgimento das erupções cutâneas.

A gestante, se tiver rubéola, pode transmiti-la ao feto, o que ocasionará a Síndrome da Rubéola Congênita, um quadro muito grave.

Diagnóstico

O diagnóstico da rubéola é dado através de exames laboratoriais, que estão disponíveis na rede pública em todos os estados do país.

Exame de IgG e IgM

Para confirmação ou descarte da doença, é utilizada a sorologia com detecção de IgG e IgM específicos para o vírus da rubéola.

Como é o tratamento da rubéola?

Não há tratamento específico para a doença.

Recomenda-se que logo que surgirem os primeiros sinais, a pessoa procure um médico para diagnosticar e acompanhar o caso.

Cuidados com rubéola em bebê

Caso a criança nasça com rubéola, ela poderá transmitir o vírus por até um ano. Por isso, os cuidados incluem manter a criança afastada das demais e de gestantes. 

Na maioria das crianças, o primeiro sinal é a erupção cutânea característica da rubéola, podendo também sentir mal-estar, febre baixa e irritação.

Rubéola na gravidez é perigoso?

Sim. Durante a gestação, a infecção por rubéola pode acarretar complicações tanto para a mãe, como aborto e natimorto (feto expulso morto), quanto para os recém-nascidos, que nascem com a Síndrome da Rubéola Congênita, em que há malformações congênitas como surdez, malformações cardíacas, lesões oculares e entre outras. 

Prevenção: vacina contra rubéola

A melhor e mais segura forma de prevenir a rubéola é por vacinação. Existem duas imunizações capazes de conferir proteção: 

Vacina Tríplice Viral (SCR) – previne de três doenças: sarampo, caxumba e rubéola.

Vacina Tetra Viral (SCR-V) – confere proteção contra quatro doenças: sarampo, caxumba rubéola e varicela.

Fonte

Ministério da Saúde. Rubéola: quais os sintomas, como é transmitida e como prevenir. Disponível em: https://antigo.saude.gov.br/saude-de-a-z/rubeola

Comentários