Agende já suas vacinas
Vacinas
13 jul 2020 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Tudo sobre o HPV: o que é, sintomas, transmissão e a vacina contra o vírus

O HPV (sigla em inglês do Papilomavírus Humano) é uma infecção que acomete ambos os sexos e é muito comum no Brasil, com mais de 2 milhões de casos por ano. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), vacina contra HPV é a principal forma de prevenção da doença em jovens.

“O HPV é muito prevalente, com estimativas de que 80% da população mundial tenha tido contato com o vírus. No Brasil, cerca de 16 mil casos novos de câncer de colo uterino são estimados por ano, tendo como principal causa a infecção pelo HPV.

Desde 2014, o Ministério da Saúde disponibiliza na rede pública a vacina quadrivalente, mas apenas para adolescentes até 14 anos. Estudos com a vacina evidenciam que pacientes já expostas ao HPV também apresentam benefício, desenvolvendo uma imunidade mais duradoura e eficaz ao vírus. “*

O que é?

O que é HPV (Papiloma Humano)?

O HPV é a Infecção Sexualmente Transmissível (IST) mais comum. O vírus infecta a pele ou mucosas das pessoas, provocando verrugas anogenitais.

“O papilomavírus humano é um vírus de transmissão sexual responsável pela quase totalidade dos casos de câncer do colo uterino, além de também causar câncer de pênis, ânus e de cabeça e pescoço”.*

O vírus também pode estar presentes em áreas extragenitais, como conjuntivas, mucosa nasal, oral e laríngea.

Como ocorre a transmissão?

Como ocorre a transmissão do HPV?

A infecção por HPV é altamente contagiosa e pode ser transmitida tanto por contato sexual, o que inclui contato oral-genital, genital-genital ou mesmo manual-genital, quanto por contato direto com a pele ou mucosa infectada, em ambos os sexos. 

Isso significa que o contágio do HPV ocorre por meio do contato pele a pele dos genitais, havendo ou não a penetração. A incidência do vírus é menor em grupos de mulheres que usam preservativo regularmente e com parceiros circuncidados. 

O grau de imunidade conferida pela infecção e o tempo de duração dessa proteção são desconhecidos, mas estima-se que apenas 50% a 60% das mulheres desenvolvem anticorpos contra o vírus após uma infecção natural. 

A infecção pelo HPV ocorre pela integração do DNA do vírus ao DNA das células, causando alterações nucleares leves a graves, que impactam no comportamento e na multiplicação dessas células”*.

Sintomas

Sintomas de HPV

Normalmente a infecção por HPV é assintomática. É uma doença que pode se manter latente por meses ou anos sem manifestar quaisquer sinais ou com manifestações subclínicas, com lesões que não são visíveis a olho nu. 

Lesões clínicas: são verrugas na região genital ou do ânus. Podem ser únicas ou múltiplas, de tamanhos variáveis, achatadas ou elevadas. Geralmente essas verrugas são causadas por tipos de HPV não cancerígenos.

Lesões subclínicas: esses tipos de lesões podem ser causados por tipos de HPV de baixo e alto risco para o desenvolvimento do câncer. Não são visíveis a olho nu e podem aparecer nos mesmos locais das lesões clínicas.

Mulher segurando uma plaquinha escrita HPV

Como é feito o diagnóstico?

Como é feito o diagnóstico?

Saber qual exame detecta o HPV é essencial para diagnosticar a doença. Quando há presença de verrugas genitais, a infecção é diagnosticada por exame urológico (pênis), ginecológico (vulva) e dermatológico (pele).

“O HPV infecta células do epitélio basal de pele e mucosa e possui subtipos divididos em alto e baixo risco. As infecções de colo uterino são totalmente assintomáticas e normalmente são eliminadas por nossas células de defesa em menos de dois anos”*.

Já o diagnóstico das lesões subclínicas pode ser feito por exame preventivo de Papanicolau.

A confirmação da infecção é realizada por exames laboratoriais de diagnóstico molecular como os testes de captura híbrida e Reação em Cadeia da Polimerase (PCR).

É possível ter uma vida normal com HPV?

Sim, saber como tratar o HPV possibilita uma vida normal.

Métodos de prevenção do HPV

O método mais eficaz na prevenção do HPV é a vacinação. Além disso, você deve:

  • Manter os exames de rotina em dia como o Papanicolau, que é muito importante para investigar precocemente caso haja alguma alteração no colo do útero.
  • Usar preservativos. Mesmo que não impeça totalmente a infecção pelo HPV, já que frequentemente as lesões estão presentes em áreas não protegidas pela camisinha, o uso de preservativos é essencial para proteger contra outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Quem tem mais chances de pegar HPV?

Estima-se que 80% da população mundial tenham ou já tiveram infecção por algum subtipo de HPV, com a curva populacional mostrando pico de incidência em duas faixas etárias: abaixo de 30 anos e entre 55 e 64 anos. Mulheres infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) têm maior risco de infecção por múltiplos subtipos.

Quais os tipos de HPV?

São conhecidos mais de 200 tipos de HPV. Entre estes, cerca de 40 podem infectar a mucosa humana, particularmente as lesões de tratos anogenital e aerodigestivo.

A Agência Internacional para Pesquisa do Câncer (IARC) classificou 13 tipos de HPV como cancerígenos do grupo 1 (HPV-16, -18, -31, -33, -33, -35, -39, -45, -51, -52, -56 , -58, -59 e -66), geralmente chamados de ”HPVs de alto risco”.

Dentre eles, o hr-HPV-16 e o hr-HPV-18 são responsáveis pela maioria dos cânceres relacionados ao HPV em áreas anogenitais e em orofaringe.

Já as infecções por tipos de HPV não oncogênicos ou de baixo risco (lr-HPVs) -6, -11, -40, -42, -43, -44 e -54 estão associadas a proliferações benignas, como condilomas e verrugas genitais.

A maioria das infecções por HPV não resulta no desenvolvimento de lesões cervicais e pode ser eliminada pelo sistema imunológico em um curto período.

Existe diferença entre HPV feminino e masculino?

Em mulheres, o vírus está associado ao câncer de colo do útero, vagina e da vulva. Aproximadamente 16 mil casos de câncer de colo do útero são diagnosticados todos os anos do Brasil e quase 100% dos casos são causados pelo HPV. Além disso, o HPV é responsável por 75% dos cânceres de vagina e por 70% dos casos de câncer de vulva.

Já em homens, o vírus está associado ao desenvolvimento de câncer do pênis, bolsa escrotal e/ou região pubiana. Cerca de 60% dos casos de câncer de pênis estão associados ao HPV e mais de 90% dos casos de câncer de ânus são causados pelo HPV. O HPV é responsável por cerca de 90% dos casos de verrugas anogenitais.

Em ambos os sexos, o vírus pode acarretar o câncer no canal anal e na orofaringe.

O HPV tem cura?

Na maioria dos casos, principalmente em pessoas mais jovens, o sistema imunológico é capaz de eliminar totalmente o vírus. Porém, algumas infecções persistem e podem causar lesões.

Duas pessoas sentadas conversando com o médico

Tire suas dúvidas

Tire suas dúvidas: Principais perguntas sobre HPV

No texto abaixo separamos as dúvidas frequentes sobre o HPV:

A vacina protege contra todos os tipos de HPV?

Não, atualmente estão disponíveis no Brasil dois tipos de vacina contra o HPV, a bivalente e a quadrivalente: 

HPV2: contém partículas semelhantes aos tipos 16 e 18 e protege contra eles.

HPV4: contém partículas semelhantes aos vírus dos tipos 6, 11, 16 e 18 e oferece proteção contra esses quatro tipos específicos.

Quanto tempo dura a proteção da vacina contra HPV?

A proteção da vacina contra HPV é por muitos anos, mas ainda não se sabe se será por toda a vida.

Existe cura para HPV feminino?

Como dito anteriormente, na maioria das vezes, o sistema imune consegue combater de maneira eficiente a infecção pelo HPV e eliminar o vírus por completo. O acompanhamento médico é necessário para evitar complicações graves.

Há tratamento caseiro para HPV na boca?

Atenção! Não é recomendado nenhum tipo de tratamento que não seja prescrito por um profissional de saúde habilitado.

Quais os remédios indicados para HPV?

O tratamento da doença é realizado dependendo de cada caso em específico e pode ser químico, cirúrgico e utilizando estimuladores de imunidade.

Qual o risco do HPV na gravidez?

Durante a gravidez, o HPV pode ocasionar o aumento do número de verrugas na região vaginal devido às alterações hormonais, modificações do sistema imunológico durante a gestação e ao aumento da vascularização da região genital.

É possível tratar HPV na gravidez?

O tratamento durante a gravidez depende de diversos fatores e o médico especialista deverá analisar a melhor forma de abordar a infecção.

O que é HPV de grau 1?

Antes do HPV virar câncer, a lesão passa por três graus chamados de neoplasia intra-epitelial cervical (NIC) grau 1, 2 e 3. Quando o tratamento é iniciado nessas etapas, as chances de a lesão progredir para câncer são menores.

Quem tem HPV menstrua normalmente?

Sim. Caso haja algum problema contate seu médico.

Quem tem HPV sangra?

Alguns tipos de HPV em mulheres, se não forem descobertos e tratados a tempo, podem evoluir de um pré-câncer para um câncer. Esse processo normalmente leva um longo tempo para acontecer e nessas situações os sintomas do HPV feminino podem ser sangramento vaginal, corrimento e dor. 

Como eliminar o HPV do corpo?

O próprio organismo humano é capaz de eliminar o vírus. O tratamento indicado por um profissional auxilia na aceleração desse processo.

Como saber se tenho HPV na boca?

O HPV na boca se manifesta através de pequenas lesões esbranquiçadas ou avermelhadas e podem ser semelhantes a uma afta. As verrugas características do HPV podem aparecer no lábio e geralmente são longas, firmes e da mesma cor da pele.

Qual a cor do corrimento do HPV?

A cor da secreção vaginal causada pelo HPV pode ser branca, amarela, purulenta, esverdeada, com ou sem odor desagradável.

Quem tem HPV transmite sempre?

O HPV é uma doença altamente transmissível, portanto é muito importante manter os exames de rotina em dia e se prevenir.

Quais são as formas de contágio do HPV?

Por ser um vírus altamente contagioso, a transmissão pode ser feita através de uma única exposição. Normalmente é transmitido por relações sexuais, porém qualquer contato direto com a pele ou mucosa infectada pode transmitir o vírus.

Quanto tempo o HPV demora para se manifestar?

O tempo de manifestação do HPV é muito incerto, uma vez que pode levar de 2 a 8 meses, como também anos. 

É possível pegar HPV no vaso sanitário?

Apesar de ser raro, é possível que a superfície esteja contaminada com o vírus.

É possível pegar HPV na depilação?

Pode acontecer, por isso é necessário se atentar à higiene do ambiente e dos materiais que serão utilizados.

 

Veja também: Tudo sobre sarampo

Veja onde se vacinar em Locais de Aplicação

 

Fontes

*Ímpar medical Journal (2020, volume 3, número 1). Benefícios da vacina do HPV para a população previamente exposta ao vírus. Dra. Andressa Melina Severino Teixeira, Dr. Fernando Yassuo Asanuma, Dra. Michelle Samora, Dr. Marcelo Simonsen.

HPV Online

Ministério da Saúde

Scielo

Vacinas por Perfil

Aqui você encontra todas as vacinas que você deve tomar de acordo com seu perfil e cuidados ao viajar.

MaisLidas