Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Vacina de tétano: para que serve, possíveis reações e quando tomar

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 18 jun 2020 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Vacina de tétano: para que serve, possíveis reações e quando tomar

A vacina antitetânica é muito importante para toda população, pois ela evita o tétano, uma doença que é potencialmente fatal. É uma enfermidade causada pela toxina da bactéria Clostridium tetani e é caracterizada por espasmos musculares e disfunção do sistema nervoso autônomo.

A vacina contra o tétano é produzida através da inativação da toxina tetânica, produzindo o toxoide tetânico que, quando administrado na forma de vacina, diminui drasticamente o número de casos da doença.

Para que serve a vacina de tétano?

A vacina contra o tétano serve para prevenir a doença. A imunização induz anticorpos IgG que conferem proteção contra a enfermidade. A infecção por tétano não confere imunidade e os pacientes devem ser vacinados para garantir uma proteção futura.

banner vacina da gripe

O risco de contrair tétano está apenas em ferimentos causados por metais?

Há duas maneiras de contrair a doença: tétano acidental e tétano neonatal.

O tétano acidental ocorre devido a contaminação de ferimentos externos contaminados, podendo ser por terra, poeira e fezes.

Já o tétano neonatal é passado para o bebê através de objetos que estejam contaminados ao manipular ou na hora de cortar o cordão umbilical.    

É importante dizer que uma pessoa contaminada não é capaz de transmitir para a outra.

Qual a idade para tomar a vacina antitetânica?

Há quatro tipos de vacinas que são usadas na rotina da prevenção do tétano:

  • Vacina tríplice bacteriana acelular, que contém toxoide tetânico, toxoide diftérico e coqueluche acelular (DTPa);
  • Vacina tríplice bacteriana de células inteiras, que contém toxoide tetânico, toxoide diftérico e coqueluche de células inteiras (DTP);
  • Vacina tríplice acelular do adulto, que contém toxoide tetânico, uma dose reduzida de toxoide diftérico e dose reduzida de coqueluche acelular (dTpa);
  • Vacina dupla adulto, que contém toxoide tetânico e dose reduzida de toxoide diftérico (dT).

As vacinas que contêm o toxoide tetânico são recomendadas durante toda a vida.

As vacinas DTPa e DTP são administradas em crianças com menos de sete anos de idade, enquanto a dTpa e dT são aplicadas em crianças com mais de sete anos e em adultos.

A DTPa e a DTP devem ser administradas nas seguintes idades: 2 meses, 4 meses, 6 meses, um reforço entre 15 e 18 meses e outro aos quatro anos de idade.

A vacina DTP é dada na rede pública como parte da vacina Pentavalente aplicada aos 2, 4 e 6 meses de idade ou isoladamente nos reforços (15-18 meses e 4 anos de idade).

A vacina DTPa é administrada na rede privada como parte da vacina Hexavalente e da vacina Pentavalente. Na rede pública a vacina DTPa também está disponível para casos específicos nos Centros de Referência para Imunobiológicos especiais (CRIEs).

A dT e a dTpa devem ser aplicadas como uma dose de reforço a cada 10 anos.

As mulheres devem receber a dTpa a cada gravidez, a partir da 20ª semana de gestação, independentemente de quando a última dose de dT foi aplicada.Pé pisando em prego

Contraindicações

Vacina tríplice bacteriana acelular (DTPa): Contraindicada para maiores de 7 anos; crianças que apresentaram encefalopatia nos sete dias seguintes à aplicação anterior de vacina contendo componente pertussis e pessoas que apresentaram alergia grave a qualquer componente da vacina. 

Vacina tríplice bacteriana de células inteiras (DTP ou DTPw): O imunizante é contraindicado para maiores de 7 anos de idade e crianças que apresentaram, após a aplicação de vacina DTPw ou combinada a ela: episódio hipotônico-hiporresponsivo – EHH (palidez, perda de tônus muscular e diminuição da resposta a estímulos) nas primeiras 48 horas após a aplicação; convulsões nas primeiras 72 horas; reação anafilática nas primeiras duas horas e encefalopatia aguda nos sete dias após a vacinação.

Vacina tríplice acelular do adulto (dTpa): A vacina só é contraindicada para as pessoas que apresentaram anafilaxia ou sintomas neurológicos causados por algum componente da vacina ou após a administração de dose anterior.

Vacina dupla adulto (dT): A única contraindicação é para pessoas que tenham apresentado anafilaxia a algum dos componentes da vacina ou a dose anterior.

Esquema de doses

  • Vacina tríplice bacteriana acelular (DTPa): faz parte da vacina de rotina das crianças. As doses devem ser aplicadas aos 2, 4, 6 meses e entre 12 e 18 meses.
  • Vacina tríplice bacteriana de células inteiras (DTP ou DTPw): as doses devem ser administradas aos 2 meses, 4 meses, 6 meses, um reforço entre 15 e 18 meses e outro aos quatro anos de idade.
  • Vacina tríplice acelular do adulto (dTpa): pode ser usada para a dose de reforço para crianças aos 4 ou 5 anos de idade. É recomendada como reforço para adolescentes, adultos e idosos. A vacina deve ser aplicada em gestantes em uma dose a cada gestação a partir da 20ª semana de gestação.
  • Vacina dupla adulto (dT): São recomendadas doses para crianças a partir de 7 anos de idade, adolescentes e adultos nas seguintes condições:

Esquema vacinal básico contra o tétano completo: uma dose a cada dez anos.

Esquema vacinal básico contra o tétano incompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento, seguida de uma ou duas outras doses da dT (dependendo de quantas faltam para completar o esquema de três doses contra o tétano). Posteriormente, reforços a cada dez anos. A vacina dTpa pode substituir a vacina dT.

Histórico vacinal desconhecido ou não vacinados: uma dose de dTpa a qualquer momento, seguida de duas outras doses da dT, no esquema 0 – 2 – 4 a 8 meses. Posteriormente, reforços a cada dez anos. A vacina dTpa pode substituir a vacina dT.

Efeitos colaterais e reação da vacina antitetânica

A vacina antitetânica causa reações geralmente pouco intensas e de curta duração:

  • Febre;
  • Vermelhidão, inchaço ou dor no local da injeção;
  • Dores musculares;
  • Cansaço.

A vacina de tétano dói? O que fazer para aliviar os sintomas?

A vacina do tétano pode causar incômodos como todas as demais vacinas. Normalmente, os sintomas são vermelhidão, inchaço ou dor no local da aplicação da injeção e passam rapidamente.  Para aliviar esses sintomas, pode ser aplicado gelo no local.

Em casos mais raros, a vacina pode causar alguns efeitos mais preocupantes como febre, dor de cabeça, sonolência, dores no corpo, cansaço e fraqueza, mas esses efeitos costumam passar em um a dois dias. 

Qual a validade da vacina antitetânica? É preciso tomar novamente?

Aos 2 meses de idade, a criança começa a tomar vacinas que contêm o toxoide tetânico e que levarão à produção de anticorpos pela própria criança. São necessárias 3 doses da vacina (aos 2, 4 e 6 meses de idade). A seguir, a criança deve tomar um reforço aos 15-18 meses de idade e outro aos 4 anos. A partir da adolescência e durante toda a vida, serão necessários reforços da vacina a cada 10 anos para manter anticorpos circulantes em quantidade suficiente para neutralizar a toxina do tétano caso a pessoa tenha um ferimento e se contamine com o bacilo causador do tétano.

As vacinas administradas durante a gravidez são seguras, eficazes e imunogênicas para muitas doenças que podem ser prevenidas pela vacina. A imunização materna com a dTpa protege o recém-nascido contra o tétano neonatal. O mesmo acontece com a vacina da gripe que, ao ser administrada na gravidez, é benéfica na proteção de gestante e também do seu bebê menor que 6 meses. 

A vacina dTpa causa reação na gestante?

Normalmente as reações são locais, como vermelhidão, dor e sensibilidade no local de aplicação. Esses sintomas costumam passar em 24 horas.

Veja o calendário vacinal do Programa Nacional de Imunização e da SBIm.

Veja também: A importância do calendário vacinal atualizado durante a pandemia da COVID-19

Veja onde se vacinar em Locais de Aplicação

Banner do e-commerce

Fontes:

www.thelancet.com – http://dx.doi.org/10.1016/S0140-6736(18)33131-3

University of Winnipeg – https://doi.org/10.1017/S1049023X17000012

Vacinas relacionadas

		    
	  	

Comentários