Agende já suas vacinas
Vacinas
07 jul 2020 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Vacina coqueluche e a importância da imunização na prevenção da doença

A vacina contra coqueluche é de extrema importância, uma vez que o aumento da incidência da doença foi relatado em muitos países e representa um problema de saúde pública global.

Um estudo publicado em no Brasil em 2015 mostrou que foram relatados, entre janeiro de 2007 e dezembro de 2014, 80.068 casos suspeitos da doença e 24.612 (32%) foram confirmados por critérios clínicos, epidemiológicos ou laboratoriais.

O estudo mostrou que a média anual de casos confirmados foi de 1.226 por ano entre 2007 e 2011, atingindo 6.161 casos anuais entre 2012 e 2014.

Após esse período, o número de infectados diminuiu progressivamente graças ao aumento da cobertura vacinal.

Qual a vacina da coqueluche?

As vacinas de coqueluche são combinadas com os toxoides da difteria e do tétano para produzir a tríplice bacteriana acelular do tipo adulto.

Em crianças, estão disponíveis vacinas pentavalentes e hexavalentes que contêm também a vacina hepatite B, os antígenos de Haemophilus influenzae tipo b e poliovírus inativados.  

Quando tomar a vacina coqueluche?

No Brasil, a imunização para coqueluche na rede pública é realizada com 3 doses da vacina DTPw-HB/Hib aplicadas aos 2, 4 e 6 meses de idade, seguidas por dois reforços de DTP aos 15 e 48 meses de idade da criança.

Em 2014, a vacina dTpa passou a fazer parte do Calendário de Vacinação da Gestante com o objetivo de diminuir a incidência e mortalidade por coqueluche em recém-nascidos.

Menina com sintomas de tosse

Quem já teve coqueluche precisa tomar vacina?

Sim, a imunização não confere proteção permanente contra novas ou outras infecções. É importante que crianças que já tiveram alguma das doenças do tétano, difteria e coqueluche, sejam imunizadas.

Quanto tempo dura a proteção conferida pela vacina da coqueluche? É preciso tomar de novo?

A imunidade adquirida pela vacina pode fornecer proteção contra coqueluche por 4-8 anos após um esquema completo de três doses e dos reforços que são aplicados dos 15 aos 48 meses.

A vacina deve ser aplicada também em gestantes, pois permite a transferência transplacentária de anticorpos para o bebê antes do nascimento, protegendo-o durante os primeiros meses de vida, justamente quando a criança ainda não completou as três doses necessárias para ficar protegida contra a coqueluche.

Na rede privada a vacina dTpa também está disponível para adolescentes, adultos e pessoas de mais de 60 anos, que podem com isso manter a sua proteção contra a coqueluche se vacinando a cada 10 anos.

O que é coqueluche? Entenda por que a imunização é importante

A coqueluche é uma infecção respiratória aguda altamente contagiosa, causada pela bactéria Gram-negativa Bordetella pertussis. A doença não se limita a uma idade específica, já que qualquer pessoa de qualquer faixa etária pode se contaminar, porém, afeta de forma mais grave bebês, principalmente aqueles abaixo dos 6 meses de idade. É uma doença que progride rapidamente, em muitos casos, podendo levar à morte.

Na maioria dos casos fatais da doença, os pacientes desenvolvem broncopneumonia causada pela Bordetella pertussis ou uma co-infecção por outras bactérias.

A boa notícia é que a coqueluche é uma doença evitável por vacina. Em países que alcançaram uma boa cobertura vacinal, o número de casos, diminuiu drasticamente.

Mulher com sintomas de tosse

Causas da doença

A causa da coqueluche é a infeção pela bactéria Bordetella pertussis que se instala na garganta (nasofaringe), progredindo para uma tosse frequente e dificuldade respiratória. 

Sintomas de coqueluche

O período de incubação da coqueluche é de 5 a 21 dias. Os primeiros sintomas geralmente são apneia ou dificuldade respiratória. É uma doença caracterizada por uma tosse paroxística e que pode persistir por semanas. A bactéria infecta o epitélio respiratório da traqueia, brônquios e bronquíolos, causando acúmulo de muco nas vias aéreas e pode causar febre e cianose (cor azulada ou acinzentada da pele, das unhas, dos lábios ou ao redor dos olhos).

Diagnóstico

Os sintomas, principalmente no início, podem ser parecidos com o de outras infecções respiratórias, como a gripe por exemplo,  portanto os casos devem ser confirmados por critérios clínicos, epidemiológicos e laboratoriais.

Tratamento de coqueluche

O tratamento é realizado com antibióticos e pode ser necessária a internação hospitalar com o auxílio do suporte ventilatório ou oxigenação extracorpórea por membrana, principalmente quando a doença atinge bebês.

 

Veja também: Vacinas na gravidez: as vacinas indispensáveis no período de gestação

Veja onde se vacinar em Locais de Aplicação

 

Fontes

Elsevier

Guimarães et al. BMC Infectious Diseases (2015)

Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 29(2):e2019280, 2020. Original Article.

Vacinas por Perfil

Aqui você encontra todas as vacinas que você deve tomar de acordo com seu perfil e cuidados ao viajar.

MaisLidas