Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Vacina contra coronavírus: como funcionam e eficácia

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 07 maio 2020 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Vacina contra coronavírus: como funcionam e eficácia

A vacina contra Coronavírus é a esperança do mundo inteiro de controlar a disseminação do vírus e voltar a ter uma vida normal.

As vacinas induzem o seu sistema imunológico a desenvolver anticorpos e células através de tecnologias que utilizam vírus ou bactérias, mortos ou enfraquecidos.

Os anticorpos e as células são responsáveis por criar barreiras protetoras contra essas infecções, impedindo que você desenvolva a doença ou as complicações dela.

A melhor forma de prevenir a COVID-19 é se vacinando.

Quais são as vacinas contra o Coronavírus?

Em dezembro de 2020, algumas vacinas contra a COVID-19 receberam autorização para uso em alguns países. Por enquanto, no Brasil, estão disponíveis a CoronaVac, do Instituto Butantan/Sinovac e a Oxford/AstraZeneca, produzida em parceria com a Fiocruz.

Outras vacinas estão sendo testadas e estudadas, a fim de promover a melhor proteção contra o vírus possível. 

Até dia 22 de março de 2021, os dados fornecidos pela Organização Mundial da Saúde mostram que há 251 vacinas em desenvolvimento, 61 estão em testes clínicos e 11 estão em uso em todo o mundo.

Como funcionam as vacinas da COVID-19?

As vacinas utilizam-se de diferentes estratégias para conferir proteção contra o vírus. As mais comuns são: 

Vírus inativado: Nessas vacinas, o vírus é inativado em laboratório através da utilização de produtos químicos, como formaldeído ou calor.

Vacinas de ácidos nucleicos: São vacinas que consistem em DNA ou RNA. No caso da COVID-19, utiliza-se atualmente uma fração do RNA do Coronavírus. Essa tecnologia funciona de modo em que a pessoa vacinada produza proteínas do vírus SARS-CoV-2 e desenvolva uma resposta imunológica contra o vírus. Mesmo que seja uma tecnologia nova, é muito segura.

Vacinas de vetores virais: A técnica utiliza um vírus que é geneticamente modificado para produzir proteínas de Coronavírus no organismo. As vacinas utilizadas atualmente utilizam vetores não replicantes, que não causam a doença.

Vacinas proteicas: Nessa tecnologia são usados fragmentos de proteínas ou invólucros de proteínas que imitam proteínas do Coronavírus.

Planeta usando mascara e se defendendo do coronavírus

Todas as vacinas são eficazes?

Com certeza. Antes de ser aprovada, uma vacina passa por rigorosos testes que comprovam sua eficácia e segurança.

A eficácia da CoronaVac contra infecções por SARS-CoV-2 de maneira geral é de 50,38%, o que está dentro do recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Anvisa. Para casos leves, a eficácia é de 78% e contra casos moderados e graves, de 100%. 

Como está sendo a vacinação no Brasil?

Em São Paulo, nesta quarta-feira (24/03), o Instituto Butantan liberou mais 2,2 milhões de doses de vacina, totalizando a distribuição de 27,8 milhões de doses da vacina contra o Coronavírus, desde 17 de janeiro, ao PNI (Programa Nacional de Imunizações) do Ministério da Saúde. 

Os casos de Coronavírus no Brasil ainda são muito alarmantes e a OPAS recomenda que as pessoas tomem, assim que possível, qualquer vacina contra a COVID-19 que esteja disponível no país.

No Brasil, a população foi dividida em grupos prioritários pelo Ministério da Saúde. Esses grupos apresentam maiores chances de contrair a infecção e as formas graves dela.

Plano de vacinação no Brasil e grupos prioritários 

O plano de vacinação no Brasil consiste em priorizar a imunização de pessoas mais vulneráveis primeiro. 

Os grupos prioritários da Vacina COVID-19, são:

  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas;
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas;
  • Povos indígenas vivendo em terras indígenas;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Pessoas de 80 anos ou mais;
  • Pessoas de 75 a 79 anos;
  • Povos e comunidades tradicionais ribeirinhas;
  • Povos e comunidades tradicionais quilombolas;
  • Pessoas de 70 a 74 anos;
  • Pessoas de 65 a 69 anos;
  • Pessoas de 60 a 64 anos;
  • Comorbidades;
  • Pessoas com deficiência permanente grave;
  • Pessoas em situação de rua;
  • População privada de liberdade;
  • Funcionários do sistema de privação de liberdade;
  • Trabalhadores da educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA);
  • Trabalhadores da educação do Ensino Superior;
  • Forças de segurança e salvamento;
  • Forças Armadas;
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros;
  • Trabalhadores de transporte metroviário e ferroviário;
  • Trabalhadores de transporte aéreo;
  • Trabalhadores de transporte aquaviário;
  • Caminhoneiros;
  • Trabalhadores portuários;
  • Trabalhadores industriais. 

É importante lembrar que a vacina da gripe e a vacina COVID-19 são duas vacinas diferentes e que uma não substitui a outra. Fique atento às datas das campanhas do seu estado e município de ambos os imunizantes e se proteja! 

Pessoas que tiveram Coronavírus também devem tomar a vacina?

Sim. Mesmo que a pessoa tenha contraído o vírus e possua anticorpos em seu organismo, estudos realizados mostram que a proteção conferida pela vacina é necessária mesmo nessas situações. Quem já teve Coronavírus deverá tomar as duas doses da vacina assim que tiver a possibilidade, e no mínimo 30 dias após o início dos sintomas da COVID-19. 

Além disso, por terem sido desenvolvidas recentemente, é muito cedo para saber a duração da proteção das vacinas COVID-19, podendo necessitar de doses periódicas para conferir imunidade, assim como a vacina da gripe.

Há contraindicações das vacinas contra o Coronavírus?

Atualmente a vacina está contraindicada para pessoas que apresentaram alergia grave a algum componente da vacina, gestantes, lactantes e pessoas com menos de 18 anos de idade.

Intervalo entre outras vacinas

As recomendações oficiais são para que antes de tomar qualquer vacina, aguarde o intervalo de 14 dias antes e depois das doses da vacina COVID-19.

Fontes

WHO. Coronavirus disease (COVID-19): Vaccines. Disponível em: https://www.who.int/news-room/q-a-detail/coronavirus-disease-(covid-19)-vaccines?adgroupsurvey={adgroupsurvey}&gclid=CjwKCAjw6fCCBhBNEiwAem5SO4BUc07E6cNa1oY7dtqjVonpJD_Is90a_2CwD6DiufLBdG6Kr4RrkRoCSbgQAvD_BwE

Vaccine Tracker. COVID-19 VACCINE TRACKER. Disponível em: https://www.covid-19vaccinetracker.org/

Comentários