Vacinas.com.br Agende suas vacinas
Home Blog Vacinas Vacinas do bebê: veja o calendário de vacinação mês a mês

Compartilhar com

Compartilhar com Facebook Compartilhar com Twitter Compartilhar com Whatsapp
Vacinas 11 fev 2021 | AUTOR: Equipe Vacinas.com.br

Vacinas do bebê: veja o calendário de vacinação mês a mês

Conheça as vacinas do bebê que são essenciais para protegê-lo e mantê-lo em segurança:

Por que é importante vacinar os bebês?

A vacinação é importante em todas as faixas etárias, principalmente quando criança. Isso porque o sistema imunológico das crianças é mais vulnerável, possibilitando o desenvolvimento de doenças infecciosas mais facilmente.  

Calendário de vacinação do bebê

O calendário vacinal infantil é dividido pelos meses de vida. Entenda:

Vacinas do recém-nascido

São duas as primeiras vacinas do bebê. Veja:

Vacina BCG: Esta vacina é aplicada em dose única assim que o bebê nasce. Confere proteção contra a tuberculose e as formas graves da doença, como meningite tuberculosa e tuberculose miliar.

A vacina BCG é contraindicada para pessoas imunodeprimidas; recém-nascidos de mães que usaram medicamentos que possam causar imunossupressão do feto durante a gestação e crianças prematuras antes de atingirem 2kg.

Vacina Hepatite B infantil: É indicada a aplicação da primeira dose nas primeiras 12 horas de vida. Previne infecções no fígado causadas pelo vírus da hepatite B e a hepatite crônica, que acomete cerca de 90% dos bebês contaminados ao nascer. São três doses necessárias, uma ao nascer, a segunda aos dois meses e a terceira aos 6 meses.

A vacina só é contraindicada caso o bebê apresente anafilaxia com qualquer componente da vacina ou com dose anterior ou nas que desenvolveram púrpura trombocitopênica após dose anterior de vacina com componente hepatite B.

Vacinas de 2 meses

Com dois meses, o bebê deverá tomar a segunda dose da Vacina Hepatite B e a primeira dose das seguintes imunizações:

Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa): É indicada para crianças até sete anos. Recomenda-se a aplicação das doses aos 2, 4 e 6 meses de vida. A imunização protege contra difteria, tétano, coqueluche e meningite por Hib. O uso da vacina DTPa é preferível ao da DTPw, pois os eventos adversos costumam ser menos frequentes. O reforço dos 4 a 5 anos pode ser feito com dTpa, DTPa ou DTPw. O reforço dos 9 a 10 anos de idade deve ser feito com a vacina tríplice acelular do tipo adulto (dTpa).

A vacina é contraindicada para crianças que apresentaram reações vacinais consideradas graves após a aplicação da vacina DTPw ou combinada a ela; Pessoas que apresentaram convulsões nas primeiras 72 horas e encefalopatia aguda nos sete dias após a vacinação.

Haemophilus influenzae b:Confere proteção contra doenças causadas pelo Haemophilus influenzae tipo b, principalmente a meningite. É recomendada e disponibilizada pelo Programa Nacional de Imunizações em três doses: aos 2, 4 e 6 meses de idade. As Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm) recomendam uma quarta dose entre 12 e 18 meses, em especial para crianças vacinadas com a vacina DTPa.

A vacina é contraindicada para pessoas que apresentaram anafilaxia provocada por qualquer componente da vacina ou por dose anterior.

Poliomielite (vírus inativados): A vacina protege contra a poliomielite (paralisia infantil) e são recomendadas três doses, aos 2, 4 e 6 meses de vida da criança.

Recomenda-se que todas as doses sejam com a VIP. Não é indicado utilizar VOP em crianças hospitalizadas e imunodeficientes.

A imunização só é contraindicada se houver reação alérgica grave (anafilaxia) à dose anterior da vacina, ou a algum de seus componentes.

Rotavírus: Há duas vacinas disponíveis. Para a vacina rotavírus monovalente, são recomendadas duas doses, idealmente aos 2 e 4 meses de idade. Já para a vacina rotavírus pentavalente são recomendadas três doses, idealmente aos 2, 4 e 6 meses de idade. Para ambas as vacinas, a primeira dose pode ser feita a partir de 6 semanas de vida e no máximo até 3 meses e 15 dias, e a última dose até 7 meses e 29 dias. O intervalo mínimo entre as doses é de 30 dias.

Ambas as imunizações conferem proteção contra a doença diarreica causada por rotavírus.

Contraindica-se repetir a vacina se a criança cuspir, regurgitar ou vomitar após a vacinação.

Não podem receber a vacina crianças hospitalizadas e em caso de suspeita de imunodeficiência ou recém-nascidos cujas mães fizeram uso de biológicos durante a gestação.

Pneumocócicas conjugadas: Essas vacinas conferem proteção contra pneumonia, meningite e otite. Está disponível em duas versões: VPC10 e VPC13. O recomendado pela SBIm é que, a partir dos 2 meses de idade e sempre que possível, faça o uso preferencial da pneumocócica 13, com o intuito de ampliar a proteção para os três sorotipos adicionais em relação à VPC10.

Ambas as imunizações são contraindicadas caso as crianças apresentem anafilaxia após usar algum componente da vacina ou após dose anterior da vacina.

Vacinas de 3 meses

Meningocócicas conjugadas ACWY/C: Previne meningites e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

A primeira dose é indicada para crianças a partir de 3 meses de vida, a segunda aos 5 meses e deverão ser administradas doses de reforço dos 12 aos 15 meses e dos 4 aos 5 anos.

A imunização é contraindicada para pessoas que tiveram anafilaxia após o uso de algum componente da vacina ou após dose anterior.

Meningocócica B: Confere proteção contra meningites e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo do sorogrupo B.

Crianças entre 3 e 11 meses devem receber duas doses com intervalo de dois meses entre elas, sendo o ideal aos 3 e 5 meses de idade, e uma dose de reforço entre 12 e 15 meses de idade (esquema 2 + 1). Crianças de 12 a 23 meses devem receber duas doses com intervalo de dois meses entre elas, com uma dose de reforço entre 12 e 23 meses após esquema primário. A partir dos 24 meses de idade: duas doses com intervalo mínimo de um mês entre elas e não estabelecida a necessidade de doses de reforço.

A vacina é contraindicada para pessoas que tiveram anafilaxia após o uso de algum componente da vacina ou após dose anterior.

Vacinas de 4 meses

Aos 4 meses de idade são recomendadas as segundas doses das seguintes imunizações:

  •         Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa);
  •         Haemophilus influenzae b;
  •         Poliomielite (vírus inativados).

Vacinas de 5 meses

Quando o bebê completa 5 meses, é recomendado que tome a segunda dose das vacinas:

  •         Meningocócicas conjugadas ACWY/C;
  •         Meningocócica B.

Vacinas de 6 meses

Aos 6 meses de vida, são recomendadas as terceiras doses das vacinas:

Hepatite B;

Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa);

Haemophilus influenzae b;

Poliomielite (vírus inativados).

Aos 6 meses, se iniciam as doses anuais da vacina influenza (gripe): É indicada para todas as crianças a partir dos 6 meses de idade. Quando administrada pela primeira vez em crianças menores de 9 anos, deverão ser aplicadas duas doses com intervalo de 30 dias. Previne a gripe, infecção causada pelo vírus Influenza.

É uma vacina muito segura e a única condição que a contraindica é se a pessoa apresentar alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou a dose anterior.

Vacinas de 9 meses

Assim que o bebê completar 9 meses, é recomendado que tome a primeira dose da vacina febre amarela.

Vacina febre amarela: São recomendadas duas doses, uma aos 9 meses de vida e a segunda aos 4 anos de idade. Previne contra a febre amarela, doença viral potencialmente grave.

A imunização é contraindicada para imunodeprimidos, mas se o risco de adquirir a doença superar os riscos potenciais da vacinação, o médico deve avaliar seu uso. 

Vacinas de 1 ano

Dos 12 aos 15 meses são recomendadas doses de reforços das vacinas:

  •         Pneumocócicas conjugadas;
  •         Meningocócicas conjugadas ACWY/C;
  •         Meningocócica B.

Além dessas, a criança deve tomar a primeira dose das seguintes imunizações:

Hepatite A: Previne a infecção no fígado causada pelo vírus da hepatite A. É indicada para todas as pessoas a partir dos 12 meses de vida, com esquema de duas doses (0 – 6 meses).

Para crianças não vacinadas para hepatite B no primeiro ano de vida, recomenda-se a vacina combinada hepatites A e B para substituir a vacinação isolada (A ou B).

Tríplice viral: A imunização confere proteção contra três doenças: sarampo, caxumba e rubéola e é indicada para crianças, adolescentes e adultos. São recomendadas duas doses da vacina.

Varicela (catapora):Recomenda-se como rotina para crianças a partir de 12 meses. Em situações de surto, excepcionalmente, poderá ser administrada para crianças a partir de 9 meses.

A vacina é contraindicada para pessoas que tiveram anafilaxia causada por qualquer dos componentes da vacina ou após dose anterior e pessoas imunodeprimidas.

Vacinas de 1 ano e 3 meses

Vacinas que necessitam de reforços quando o bebê está entre 15 e 18 meses de vida:

  •         Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa);
  •         Haemophilus influenzae b;
  •         Poliomielite (vírus inativados).

Assim que a criança completa 18 meses, deverão ser aplicadas a segunda dose das seguintes vacinas:

  •         Hepatite A;
  •         Tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola);
  •         Varicela (catapora).

Vacinas de 4 anos

A vacinação infantil é de extrema importância desde o nascimento. Quando a criança completa de 4 a 6 anos, é necessário repetir algumas doses de vacinas já tomadas anteriormente, como:

  •         Tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa);
  •         Poliomielite (vírus inativados);
  •         Meningocócicas conjugadas ACWY/C.

Possíveis reações das vacinas

Os principais eventos adversos da vacinação infantil são: 

  • Vermelhidão e inchaço no local da aplicação;
  • Irritabilidade;
  • Choro;
  • Sono excessivo;
  • Febre. 

Recomenda-se que antes da vacinação, os pais da criança a ser vacinada leiam as recomendações da vacina para entender sobre as possíveis reações de cada vacina.

Quando ir ao médico por conta das reações?

As reações à vacina tendem a passar de 24 a 72h após a vacinação. Caso o bebê apresente sintomas que não são considerados comuns ou caso os sintomas demorem para passar, recomenda-se auxílio médico para investigação. 

Onde vacinar o bebê?

Algumas vacinas estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Você também pode encontrar as imunizações nos serviços privados através da nossa loja online de vacinas para crianças.

Fonte

SBIm. Calendário de Vacinação Criança. Disponível em: https://sbim.org.br/images/calendarios/calend-sbim-crianca.pdf

Comentários